Alfrêdo Oliveira


Inicio


Acerca de
Suscríbete al blog

Categorías
Main [13] Sindicar categoría

Archivos
March 2008 [1]
February 2008 [1]
December 2007 [1]
November 2007 [1]
October 2007 [1]
September 2007 [8]

Sindicación (RSS)
Artículos
Comentarios

 


Main

General posts

Ares de Um Novo Tempo

Alfrêdo Oliveira Silva[1]

 

Vejo ares de um novo tempo, prenúncio de vida em uma instituição que deve lapidar vidas, novos ares na mais antiga instituição teológica da América Latina. O semestre está começando[2] no STBNB – Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil.

 

Ares de um novo tempo. O Pastor Fernando Brandão, Diretor Executivo da Junta de Missões Nacionais da CBB, visitou a comunidade seminarial, e com seu jeito dinâmico desafiou-nos a um maior envolvimento com a obra missionária. Além de reunir-se com os líderes da CBPE, OPBB, SEC, Ministério Muda Sertão, e lideranças de algumas igrejas, o Pastor Fernando dedicou especial atenção ao Seminário do Norte.

 

Na manhã do dia 13 de fevereiro o Pastor Fernando pregou no culto das 9h30 em uma Sala Dickson lotada, com um auditório atento e tocado pelos desafios apresentados. Foi um culto memorável com a presença de professores, alunos, funcionários e visitantes.

 

Após o culto, e várias conversas com irmãos e irmãs que o procuravam, o Pastor Fernando reuniu-se na sala 58 com 22 seminaristas a maioria participante do Projeto Tymchak, mais o Pastores: Alfrêdo Oliveira (Professor de Missões no STBNB) Glen Clayton (Missionário inglês), Cirino Refosco (Missionário-Coordenador da JMN). Nesta reunião o Pastor Fernando falou de forma pessoal aos presentes, respondeu perguntas, ouviu as dúvidas, anseios e convicções dos seminaristas. Foi um momento histórico e marcante, quando pessoas chamadas por Deus, algumas delas no seu primeiro semestre de estudos, tiveram oportunidade de interagir diretamente com o Diretor Executivo de Missões Nacionais, conhecê-lo e sentir o seu amor pelo Senhor e por  Missões. Foi uma reunião de quase duas horas que deixou marcas profundas em todos, e sinalizou o sopro de ares de um novo tempo para o STBNB, para a JMN, e para a Denominação Batista Brasileira.

 

Ares de um novo tempo. No dia 14 de fevereiro de 2008, pela manhã o Pastor Fernando falou aos professores e professoras do STBNB. Entre os presentes estavam o Dr. Merval Rosa e o Dr Roberto Schuler, o primeiro finalizando décadas de dedicação ao ensino teológico que culminaria com a passagem do cargo à noite, o segundo, chegando da Suíça para assumir a Direção Geral do STBNB trazendo consigo a expectativa de um novo tempo. Foi uma reunião emocionante com homenagem ao Dr. Merval, e com a palavra firme e desafiadora do Diretor de Missões Nacionais.

 

Ares de um novo tempo. No dia 14 de fevereiro de 2008, no santuário da Igreja Batista da Capunga, tomou posse na Direção Geral do STBNB o Pastor Dr. Roberto Schuler. Um evento marcante sob vários pontos de vista. Espiritualmente fomos enlevados pelas músicas congregacionais, e apresentação do Coro da  Capunga, sob a regência do Prof. Apolônio Ataíde, Ministro de Música da Igreja e Coordenador do Curso de Música do STBNB. O Pastor Eli Fernandes de Oliveira, ex-aluno da casa e 2º Vice-Presidente da CBB, trouxe um sermão firme, atual e desafiador. A denominação esteve muito bem representada, através de líderes nacionais e estaduais, que usaram da palavra demonstrando que estamos em um novo tempo, em que o STBNB, as Convenções (CBB e CBPE) e instituições denominacionais devem caminhar juntos na construção do Reino de Deus e de uma denominação Missionária. Um momento histórico!

 

Ares de um novo tempo. No dia  20 de fevereiro de 2008, às 9h30 a sala Dickson estava lotada, e mais uma vez, a ênfase era missionária. O Pr. João Batista Januário, Secretário Geral da CBPE – Convenção Batista de Pernambuco, acompanhado do Pr. Edvan Tavares Coordenador da CEVAN, da Prof. Ábia Saldanha Diretora do SEC, e de outros líderes da denominação fizeram o lançamento do Projeto Seminarista-Missionário, a idéia é que seminaristas, com equipes apoiadas por evangelistas plantarão novas igrejas. Esse projeto será viabilizado pela parceria formada pelo STBNB, Seminário de Educação Cristã, Convenção Batista de Pernambuco, Junta de Missões Nacionais, Missão IDE e International Mission Board, os representantes de cada uma das instituições envolvidas na parceria estavem presentes. Esse projeto contribuirá para que o arrojado alvo de plantação de cinco mil igrejas proposto pela JMN seja alcançado.

 

Ares de um novo tempo. Os eventos acima relatados demonstram que respiramos novos ares no STBNB, estamos convictos de que esses ares podem mover-nos para mais perto de Deus, das Igrejas, da Denominação, e do povo brasileiro. Assim cumpriremos nossa vocação de servir a Deus, à igreja e à sociedade.

 

Soli Deo Gloriæ!



[1] O Pastor Alfrêdo Oliveira Silva é Bacharel e Mestre em Teologia (especialização em Novo Testamento), Professor do STBNB – Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, e da AMESPE – Academia Memorial de Ensino Superior de Pernambuco, membro da APMB – Associação dos Professores de Missões do Brasil e da Igreja Batista da Capunga, Recife-PE, Brasil. E-mail: alfredo.oliveiras@globo.com Blog: http://alfredooliveira.zoomblog.com/

[2] Primeiro semestre de 2008

 

Vejo ares de um novo tempo, prenúncio de vida em uma instituição que deve lapidar vidas, novos ares na mais antiga instituição teológica da América Latina. O semestre está começando[2] no STBNB – Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil.

 

Ares de um novo tempo. O Pastor Fernando Brandão, Diretor Executivo da Junta de Missões Nacionais da CBB, visitou a comunidade seminarial, e com seu jeito dinâmico desafiou-nos a um maior envolvimento com a obra missionária. Além de reunir-se com os líderes da CBPE, OPBB, SEC, Ministério Muda Sertão, e lideranças de algumas igrejas, o Pastor Fernando dedicou especial atenção ao Seminário do Norte.

 

Na manhã do dia 13 de fevereiro o Pastor Fernando pregou no culto das 9h30 em uma Sala Dickson lotada, com um auditório atento e tocado pelos desafios apresentados. Foi um culto memorável com a presença de professores, alunos, funcionários e visitantes.

 

Após o culto, e várias conversas com irmãos e irmãs que o procuravam, o Pastor Fernando reuniu-se na sala 58 com 22 seminaristas a maioria participante do Projeto Tymchak, mais o Pastores: Alfrêdo Oliveira (Professor de Missões no STBNB) Glen Clayton (Missionário inglês), Cirino Refosco (Missionário-Coordenador da JMN). Nesta reunião o Pastor Fernando falou de forma pessoal aos presentes, respondeu perguntas, ouviu as dúvidas, anseios e convicções dos seminaristas. Foi um momento histórico e marcante, quando pessoas chamadas por Deus, algumas delas no seu primeiro semestre de estudos, tiveram oportunidade de interagir diretamente com o Diretor Executivo de Missões Nacionais, conhecê-lo e sentir o seu amor pelo Senhor e por  Missões. Foi uma reunião de quase duas horas que deixou marcas profundas em todos, e sinalizou o sopro de ares de um novo tempo para o STBNB, para a JMN, e para a Denominação Batista Brasileira.

 

Ares de um novo tempo. No dia 14 de fevereiro de 2008, pela manhã o Pastor Fernando falou aos professores e professoras do STBNB. Entre os presentes estavam o Dr. Merval Rosa e o Dr Roberto Schuler, o primeiro finalizando décadas de dedicação ao ensino teológico que culminaria com a passagem do cargo à noite, o segundo, chegando da Suíça para assumir a Direção Geral do STBNB trazendo consigo a expectativa de um novo tempo. Foi uma reunião emocionante com homenagem ao Dr. Merval, e com a palavra firme e desafiadora do Diretor de Missões Nacionais.

 

Ares de um novo tempo. No dia 14 de fevereiro de 2008, no santuário da Igreja Batista da Capunga, tomou posse na Direção Geral do STBNB o Pastor Dr. Roberto Schuler. Um evento marcante sob vários pontos de vista. Espiritualmente fomos enlevados pelas músicas congregacionais, e apresentação do Coro da  Capunga, sob a regência do Prof. Apolônio Ataíde, Ministro de Música da Igreja e Coordenador do Curso de Música do STBNB. O Pastor Eli Fernandes de Oliveira, ex-aluno da casa e 2º Vice-Presidente da CBB, trouxe um sermão firme, atual e desafiador. A denominação esteve muito bem representada, através de líderes nacionais e estaduais, que usaram da palavra demonstrando que estamos em um novo tempo, em que o STBNB, as Convenções (CBB e CBPE) e instituições denominacionais devem caminhar juntos na construção do Reino de Deus e de uma denominação Missionária. Um momento histórico!

 

Ares de um novo tempo. No dia  20 de fevereiro de 2008, às 9h30 a sala Dickson estava lotada, e mais uma vez, a ênfase era missionária. O Pr. João Batista Januário, Secretário Geral da CBPE – Convenção Batista de Pernambuco, acompanhado do Pr. Edvan Tavares Coordenador da CEVAN, da Prof. Ábia Saldanha Diretora do SEC, e de outros líderes da denominação fizeram o lançamento do Projeto Seminarista-Missionário, a idéia é que seminaristas, com equipes apoiadas por evangelistas plantarão novas igrejas. Esse projeto será viabilizado pela parceria formada pelo STBNB, Seminário de Educação Cristã, Convenção Batista de Pernambuco, Junta de Missões Nacionais, Missão IDE e International Mission Board, os representantes de cada uma das instituições envolvidas na parceria estavem presentes. Esse projeto contribuirá para que o arrojado alvo de plantação de cinco mil igrejas proposto pela JMN seja alcançado.

 

Ares de um novo tempo. Os eventos acima relatados demonstram que respiramos novos ares no STBNB, estamos convictos de que esses ares podem mover-nos para mais perto de Deus, das Igrejas, da Denominação, e do povo brasileiro. Assim cumpriremos nossa vocação de servir a Deus, à igreja e à sociedade.

 

Soli Deo Gloriæ!



[1] O Pastor Alfrêdo Oliveira Silva é Bacharel e Mestre em Teologia (especialização em Novo Testamento), Professor do STBNB – Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, e da AMESPE – Academia Memorial de Ensino Superior de Pernambuco, membro da APMB – Associação dos Professores de Missões do Brasil e da Igreja Batista da Capunga, Recife-PE, Brasil. E-mail: alfredo.oliveiras@globo.com Blog: http://alfredooliveira.zoomblog.com/

[2] Primeiro semestre de 2008

Por Alfrêdo Oliveira - March 7th, 2008, 14:26, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Alegria - Onde está a sua?

Pr. Alfrêdo Oliveira[*]


 

No período carnavalesco, fala-se muito em alegria. Propagam-se lugares e programações onde supostamente a alegria pode ser encontrada e muitas pessoas saem em busca dela, que se revela passageira e muitas vezes enganosa.

 

Por outro lado, grupos expressivos de cristãos se reúnem em acampamentos e retiros espirituais, onde experimentam uma vivência comunitária. Uns trabalham, outros estão enfermos, alguns aproveitam para freqüentar uma igreja mais próxima de casa, ou simplesmente fogem da agitação da cidade refugiando-se em casas de familiares, na praia ou no campo. Ainda há aqueles que preferem o famoso “acampadentro” (fazer uma programação dentro de sua casa, como assistir a uma seleção de filmes, por exemplo).

 

No período carnavalesco o que ocorre não é somente uma busca de “alegria”, mas, sobretudo, uma época de fugas. As pessoas fogem de si mesmas ao esconderem-se atrás de máscaras e fantasias, que por vezes revelam o que está no íntimo de cada um; fogem de Deus, ao se jogarem nos braços de Momo, e dos seus seguidores; fogem do próximo, quando o outro é encarado muitas vezes como um objeto de prazer, ou uma companhia agradável que será descartada ao final do baile. Em meio às fugas, as pessoas se refugiam na folia, em acampamentos, entre parentes e amigos.

 

Há pessoas que, ao correrem atrás dos trios elétricos e blocos carnavalescos, estão na verdade correndo para longe do seu cotidiano, fugindo de sua rotina maçante e sem graça, buscando a alegria que não desfrutam diariamente. Correm atrás de uma alegria que não sobrevive à quarta-feira de cinzas, e que muitas vezes é interrompida bruscamente pela violência, não apenas urbana, mas, lamentavelmente, também pela violência familiar.

 

Há pessoas que, ao irem a um acampamento cristão, buscam a intimidade e a comunhão – com Deus e com o próximo – que gostariam de experimentar durante todos os dias do ano, e não apenas em um feriado. Na realidade, fogem, talvez, da superficialidade de uma religiosidade dominical, de cultos cheios de pessoas vazias, onde a Palavra de Deus não é mais estudada, explanada, discutida e compreendida, cultos que há muito se tornaram antropocêntricos (centrados no homem) e substituíram o espiritual pelo emocional.

 

Alegria –  Onde está a sua? A questão é a jornada existencial de cada um durante todo o ano e não somente em um feriado.

 

O ser humano precisa de uma alegria que não se esgote na quarta-feira de cinzas, nem dependa da folia dos blocos carnavalescos, nem da ilusão das drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas. A alegria deve ser encontrada na realização pessoal diária, ao enfrentar e vencer os desafios da vida, ao realizar-se profissionalmente, financeiramente, e emocionalmente.

 

O ser humano precisa de uma comunhão com Deus, e com o próximo, que não espere o próximo acampamento para acontecer. O cristão e a cristã precisam de uma íntima e profunda comunhão com Deus que passe pelo intelecto e alcance todas as esferas da vida. A alegria do cristão não deve limitar-se à informalidade do retiro, ou acampamento, mas deve ser fruto da reflexão sobre quem somos, e como Deus, sendo quem é, nos amou e salvou.

 

Alegria deve ser compartilhada através da comunhão experimentada no encontro com Deus, consigo e com o semelhante. Sem máscaras, sem fugas, e encarando a realidade de frente, assumindo os riscos e as responsabilidades do mundo real onde as coisas acontecem, e não na ilusão do carnaval, ou na segurança dos acampamentos.

 

O Apóstolo Paulo, escrevendo da prisão, ordenou: Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.  (Filipenses 4.4). A alegria está na plena consciência de si mesmo, do próximo e de Deus. Soli Deo Gloriæ!

 



[*] O Pastor Alfrêdo Oliveira Silva é Professor do STBNB, da AMESPE, e membro Igreja Batista da Capunga, Recife-PE, Brasil. E-mail: alfredo.oliveiras@globo.com Blog: http://alfredooliveira.zoomblog.com/

Por alfredo.oliveiras - February 2nd, 2008, 10:26, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

BOAS FÉRIAS! FELIZ NATAL![1]

 

Pr. Alfrêdo Oliveira[2]

Boas Férias! Feliz Natal! Estas são duas das expressões mais usadas ao final de cada ano, e são uma tentativa de externar o desejo por dias melhores entre os seres humanos.

 

Boas Férias! Esta é a época em que vários estudantes estão terminando o ano, ou semestre letivo, e planejam descansar um pouco, passear, desligar-se das atividades acadêmicas. Alguns estão na correria do vestibular, desfrutando a alegria da iminente aprovação, ou as preocupações do retorno ao cursinho.

 

Boas Férias também para os trabalhadores, que após um ano de atividades e lutas podem descansar e, quem sabe, aproveitar o décimo terceiro para fazer investimentos, novas aquisições ou saldar dívidas. Alguns vêem nesta época a possibilidade de um trabalho temporário para reforçar a renda, ou quem sabe tentar uma contratação definitiva no novo ano.

 

Entretanto, nem todos tiram férias: pais e mães, filhos e filhas, irmãos e irmãs, esposos e esposas... embora muitas vezes em férias de outras atividades, e até geograficamente distantes, eles e elas não deixam de exercer os papéis familiares. Infelizmente existem famílias cujos participantes simplesmente as abandonam, o que seria matéria para outro artigo.

 

Mas, não é apenas da família que não se deve tirar férias. O cristão não tira férias! Em algumas ocasiões, viagens são feitas, e por estar em outra cidade, estado ou país, deixa-se de freqüentar a Igreja da qual se é membro, mas não é possível ao cristão tirar férias do cristianismo. Ele continua sendo cristão, onde quer que esteja, servindo ao Senhor e obedecendo a Sua Palavra através do testemunho e da convivência com o semelhante.

 

Há uma outra expressão: Feliz Natal! Esta frase é repetida inúmeras vezes, e de forma por vezes inconseqüente. O que significa de fato Feliz Natal?

 

Diante da mídia tem-se a impressão que para alguém ter um feliz natal, precisa consumir muito, geralmente comprar o que não precisa com o dinheiro que não tem. Olhando a decoração de boa parte do comércio, e de algumas casas – inclusive de cristãos – esta impressão é reforçada pela figura do Papai Noel, com seus muitos presentes que dificilmente  chegarão à casa da maioria dos brasileiros e brasileiras.

 

O natal como descrito acima não pode ser feliz. Primeiro, porque a condição da maior parte do nosso povo não possibilita saciar a sede consumista, o que até é feito, muitas vezes à custa de prestações que alcançam o natal seguinte. Segundo, porque a alegria do natal só pode ser compreendida por quem vê a humilde manjedoura, e percebe sobre ela a sombra da cruz, e nos olhos do menino a serenidade de Deus, mais tarde, ao contemplar o crucificado, percebe em seu olhar a pureza e inocência da criança, que sofre pela crueldade dos humanos.

 

O natal só é feliz quando se adquire a percepção do Emanuel, Deus conosco. Em Cristo, Deus se identificou com a humanidade, e mais precisamente com aqueles, e aquelas, que não podem, pelos padrões do nosso tempo, desfrutar um feliz natal.

 

Um feliz natal não depende de presentes, velas, festão, peru, farta ceia, embora todas essas coisas sejam desejáveis. Um feliz natal depende da acolhida que é dada à presença de Jesus Cristo em nossa história, e de como essa acolhida influencia as relações humanas.

 

Para que haja um feliz natal para todos e todas, os cristãos não podem tirar férias do Cristianismo, nem de Cristo. Através de nós, a presença de Cristo deve tornar-se cada vez mais real e perceptível entre o nosso povo.



[1] Esse artigo foi publicado inicialmente no Jornal Batista Pernambucano, dezembro de 2007

[2]O Pastor Alfrêdo Oliveira Silva é Professor do STBNB e da AMESPE, membro da Igreja Batista da Capunga, Recife-PE, Brasil. E-mail: alfredo.oliveiras@globo.com Blog: http://alfredooliveira.zoomblog.com/

Por alfredo.oliveiras - December 4th, 2007, 14:14, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

MARCAS DA VIDA DE UM JOVEM II

Pr. Alfrêdo Oliveira[1]

As marcas e cicatrizes são carregadas ao longo da vida. No artigo anterior, foi abordada a omissão, uma marca a ser evitada pelo jovem cristão. Voltando ao texto de Atos 7.54-8.1 observa-se outra  marca a ser evitada.

 

Atos 7.54-8.1 NVI

54 Ouvindo isso, ficavam furiosos e rangiam os dentes contra ele.
55 Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus de pé, à direita de Deus,
56 e disse: "Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé à direita de Deus".
57 Mas eles taparam os ouvidos e, gritando em alta voz, lançaram-se todos juntos contra ele,
58 arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas deixaram seus mantos aos pés de um jovem chamado Saulo.
59 Enquanto apedrejavam Estêvão, este orava: "Senhor Jesus, recebe o meu espírito".
60 Então caiu de joelhos e bradou: "Senhor, não os consideres culpados deste pecado". E, dizendo isso, adormeceu.
Atos 8.1 E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão. Naquela ocasião desencadeou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria

 

O texto narra o martírio de Estevão, diácono escolhido para servir às mesas, e diante deste terrível quadro, encontra-se o jovem Saulo consentindo no erro.

 

CONSENTIMENTO DO ERRO UMA MARCA PERIGOSA

At.8.1 E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão. Naquela ocasião desencadeou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria

 

Outra marca perigosa para a vida de um jovem, é o consentimento do erro. Pelo texto infere-se que Saulo poderia ter feito algo para evitar o assassinato... quantas vezes o erro tem sido consentido diante de jovens cristãos?

 

A história revela que Saulo desempenhou importantes papéis. Neste texto ele consentiu com a morte de Estevão. O consentimento do erro deixou marcas profundas na vida do jovem Saulo, décadas depois a experiência era lembrada. At.26.10 E foi exatamente isso que fiz em Jerusalém. Com autorização dos chefes dos sacerdotes lancei muitos santos na prisão, e quando eles eram condenados à morte eu dava o meu voto contra eles.

 

Saulo lembra-se que, em sua juventude, autorizado pelos chefes dos sacerdotes ele perseguiu os santos. Esconder-se por trás de autorizações para consentir um erro, não isenta o julgamento da consciência, muito menos o de Deus.

 

Saulo lembra-se que, em sua juventude, consentiu, pelo voto, com a condenação dos santos. O consentimento do erro, em muitas ocasiões, vem acompanhado da permissividade para que ele ocorra.

 

Paulo lembra-se que, em sua juventude, gastou tempo contrariando a vontade de Deus. Os textos mostram como a situação mudara.

 

Os personagens:

At. 7.58; 8.1

At. 22.20; 26.10

6.12 povo, líderes religiosos,

21.37 soldados, Comandante

6.12 mestres da lei

21.40 multidão

7.1 Sumo Sacerdote

 

A situação:

At. 7.58; 8.1

At. 22.20; 26.10

6.8-15 Prisão de Estevão

21.27-36 Prisão de Paulo

7.1-53 Discurso de Estevão

21.37-22.21 Discurso de Paulo

7.54-81 Apedrejamento de Estevão

22.22 Prisão e Sinédrio

O lugar de Saulo/Paulo:

At. 7.58; 8.1

At. 22.20; 26.10

7.58 segurou os mantos dos...

21.37 prisioneiro

8.1 consentiu na morte...

...

 

A vida marca seus filhos, e os filhos da vida marcam-se uns aos outros. Nem sempre pessoas escolhem as marcas que recebem, mas, geralmente, decidem que marcas vão imprimir nos semelhantes.

 

O Apóstolo Paulo, em sua maturidade, lembrou de fatos que o marcaram terrivelmente na juventude. O que é plantado na juventude frutificará, e será colhido. Cabe a cada um semear bons frutos, imprimir marcas das quais se orgulhe na maturidade.



[1]              O Pastor Alfrêdo Oliveira Silva é Professor do STBNB e da AMESPE, e membro da Igreja Batista da Capunga,Recife-PE, Brasil

[ 2 ]             Publicado no Jornal "O Batista Pernambucano" em outubro de 2007 

Por alfredo.oliveiras - November 2nd, 2007, 1:36, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

FAMÍLIAS ADMINISTRANDO FIELMENTE A GRAÇA DE DEUS

Famílias Administrando A Graça de Deus

Cada um administre aos outros o dom como o recebeu,

 como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

 (1 Pedro 4.10 )

O que fazemos em nossas famílias? Qual o sentimento que predomina entre nós? Quais os planos e propósitos que temos? O que fazemos, sentimos e planejamos em nossas famílias indica o que estamos administrando...

 

Estamos em outubro mês de aniversário da Reforma Protestante (que enfatizou a graça de Deus na salvação das pessoas), a administração da graça de Deus deve começar em nossas famílias.

 

A família é o reflexo do conjunto das nossas potencialidades e limitações, sonhos e frustrações, erros e acertos. Somos responsáveis pela construção das nossas famílias, e por elas devemos zelar. Atualmente os valores familiares são desprezados, e esta é uma das causas da decadência da nossa sociedade. Como cristãos, e cristãs, edifiquemos famílias que façam diferença e administrem a graça de Deus.

 

A Bíblia ensina que Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. (1 Pedro 4.10 )

 

Vivemos estes ensinos em nossas vidas, famílias e Igreja?

 

Exercício de dons – Deus capacita cada um com dons para Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;  Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, (Ef 4.12,13). Todos os membros do corpo têm uma função, e o corpo só é saudável à medida que cada membro faz a sua parte e trabalha para a unidade do todo. Quando isso não ocorre, outros membros são sobrecarregados, e há divisão, sofrimento.

Serviço aos outros – diz um ditado popular que quem não vive para servir, não serve para viver. Biblicamente fomos chamados para servir e temos em Jesus Cristo nosso maior exemplo e inspiração. Precisamos aproveitar cada oportunidade de serviço.

Administração fiel da graça – administrar é “ministrar com”. A fidelidade na administração de nossas vidas, tempo e bens é requerida. E o grande desafio é administrar aos outros o dom como o recebeu. Deus chama, salva, santifica e abençoa pela graça, e devemos fielmente administrar essa graça às pessoas com as quais convivemos. Somos realmente veículos da graça de Deus em nossas famílias, Igreja e sociedade?

Múltiplas formas – a graça de Deus nos alcança de variadas formas. Criativamente devemos compartilhá-la. Como administramos graça? Abençoamos uns aos outros? Edificamos vidas? Apoiamos? Confortamos? Perdoamos? Respeitamos? Amamos?

 

Os desafios estão diante de nós: exercitar os dons, servir aos outros, e administrar fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas. Que Deus nos faça administradores fiéis da Sua graça; que abençoemos e sejamos abençoados.

 

Soli Deo Gloriæ!

 

Pr. Alfrêdo Oliveira

Por alfredo.oliveiras - October 3rd, 2007, 1:07, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Mensagem do Pr. Xavier

Compartilho texto do Pastor Xavier que pode ser acessado diretamente no site da Igreja Batista Memorial da Tijuca: http://www.ibmt.org.br/index.php?option=com_content&task=category&sectionid=6&id=29&Itemid=44l

Compartilho texto do Pastor Xavier que pode ser acessado diretamente no site da Igreja Batista Memorial da Tijuca: http://www.ibmt.org.br/index.php?option=com_content&task=category&sectionid=6&id=29&Itemid=44l

Compartilho texto do Pastor Xavier que pode ser acessado diretamente no site da Igreja Batista Memorial da Tijuca: http://www.ibmt.org.br/index.php?option=com_content&task=category&sectionid=6&id=29&Itemid=44l

Queridas Ovelhas Virtuais, líderes e amigos

"Por isso Deus O exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai" (Fp.2.9-11)

"Aprendi o segredo de viver CONTENTE em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito ou passando necessidade. Tudo posso naquEle que me fortalece" (Fp.4.12b-13)

"Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: Alegrem-se!!" (Fp.4.4)

"Então a nossa boca encheu-se de riso, e a nossa língua de cantos de alegria. Até nas outras nações se dizia: "O SENHOR FEZ COISAS GRANDIOSAS POR ESTE POVO". Sim, coisas grandiosas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres"

Achei que a minha palavra de segunda feira passada seria a última que lhes enviaria. Penso que formalmente foi, mas quero estar livre para compartilhar as coisas "grandes e ocultas" que o Senhor for me revelando ao longo deste processo.

Como vocês sabem, em meio a tudo o que já estamos vivendo, fomos surpreendidos com uma internação hospitalar do Filipe, pois começou inexplicavelmente a urinar sangue. Os médicos ainda não encontraram a causa, mas estão investigando. Em certo momento, enquanto chorava, impotente, pois não conseguia estar ao lado do meu querido filho nesta hora, eu disse: "- Deus, não tem problema que estas coisas aconteçam comigo, mas não com o meu filho". Eu estava muito triste, chorando nos ombros da Clenir, enquanto o Paulo Mineiro e a minha cunhada procuravam um lugar para interná-lo. Como internar um garoto de 15 anos em um hospital para adultos que não recebem adolescentes, ou num hospital de pediatria, um adolescentes com 1,84cm. Mas Deus providenciou um lugar, quebrando as regras.

Lembrei-me também da nossa luta, e mui especialmente, da Clenir, que enquanto eu estava no hospital, tinha que se dividir, embora muito bem amparada por minha cunhada, Regina, meu amigo Jimmy, e vários irmãos da igreja, tinha que se dividir entre o hospital São Lucas e a atenção à mãe dela que está com Alzeimer.

A Clenir chegou em casa ontem à noite, exausta, depois de passar a noite anterior e o dia inteiro de ontem no hospital com o Filipe e praticamente foi direto para a cama. Porém, acordamos às 2 da manhã e começamos a conversar e ela me disse coisas muito preciosas que Deus estava falando com ela, a respeito de tudo o que está acontecendo (ela irá escrever sobre isto), e que foram sendo confirmadas em meu coração.

A coisa principal é que ela disse que, de alguma forma, nós temos zombado da morte, como Paulo também o fez, ao perguntar, de modo irônico, à semelhança de Elias desafiando os profetas de Baal: _ "Onde está ó morte, o teu aguilhão???". Ou seja, você, não tem a última palavra. A última palavra é de Deus, é da ressurreição. ALELUIA!!! Consequentemente estamos zombando de Satanás. Pois, pela graça de Deus, e não por sermos especiais, não por nossas personalidades, etc..., mas somente pela graça de Deus, temos continuado a confiar, a descansar.

Meu grande amigo, pastor Marcilio, ao nos visitar ontem, disse que, ao entrar num hospital, leu em uma placa: "O IMPORTANTE NÃO É COMPREENDER, E SIM CONFIAR". No meu coração eu disse. É isto mesmo. É isto que estamos vivendo. A Clenir se lembrou que um dos grandes problemas, que inclusive levou os amigos de Jó a pecar, foi que eles estavam tentando entender. O próprio Jó, em dado momento também incorreu neste erro, até chegar ao ponto de se render e descansar completamente em Deus. Foi a primeira lição que aprendemos sobre a internação do Filipe. O caminho é o mesmo. CONFIAR. Confiar em Deus. À vocês, que são minhas ovelhas, líderes e amigos, digo que não tentem compreender, mas CONFIEM!!!!
Mas Deus queria que fôssemos um pouco mais adiante. Ele não queria que tão somente confiássemos, mas queria algo que aos olhos e ouvidos humanos é impossível, diante de tudo o que está acontecendo. Ele quer que nos ALEGREMOS. Que o exaltemos, apesar de todas as coisas. Mesmo em meio às lágrimas, como cantamos e nos emocionamos. Entendi, porque Ele requereu de nós aquele culto de sábado, o qual foi para nós também inesquecível. Na verdade não foi um culto de despedida, mas um culto de ALEGRIA, de exaltação, de adoração, de louvor. É isto que tem feito que Satanás fique tão perturbado, tão incomodado. Porque continuaremos a nos alegrar, apesar de mais esta paulada, de ver o nosso filho internado, deixando os médicos perplexos num primeiro momento. Mas, por favor!!!!!!!!!!! Não percam o foco. Isto não tem nada a ver com o fato de sermos pessoas fortes, especiais, etc,etc,etc...Mas tem a ver com o fato de que "a alegria do Senhor é a nossa força". Muito antes de nós, Habacuque já experimentara isto ao dizer: "...ainda assim, me alegrarei no Senhor". Isto é padrão para todos nós. Não é uma exceção!!! É para você que está começando o seu dia hoje!!! É para mim que daqui a pouco vou ao hospital para ver o Filipe. Para a Clenir, o Fábio, a Luana. Todos nós.
Deus tem nos falado que a verdadeira guerra espiritual, se é que estamos usando o termo corretamente, não se dá no terreno da demonstração do poder de Deus, pois Satanás sabe mais do que nós, o que Deus pode fazer. Ele pode me curar. Ele pode curar o Filipe. Ele pode abrir o mar vermelho. Ele pode ressuscitar os mortos. Ele pode fazer o que quiser, quando quiser, da forma que quiser, onde quiser. Ele é o GRANDE EU SOU!!!! A verdadeira guerra espiritual portanto, não é esta. Mas é na área da adoração, da alegria, do louvor. Foi isto que Satanás tentou ao dizer, Jó vai negá-lo quando perder todas as coisas. Habacuque vai negá-lo com a perda de todas as coisas. Os seus discípulos vão negá-lo, quando começarem a perder todas as coisas, Paulo vai negá-lo, porque depois de ter realizado tanto para o Senhor, passar por tantas aflições, aparecer este espinho na carne irremovível. Lutero vai negá-lo com a perda de tantos amigos e de todo o privilégio que desfrutava no Catolicismo de seu tempo. E, no entanto, ao invés de negarem, eles afirmavam: "Para quem iremos nós, TU tens as palavras de vida eterna", escreviam hinos: "se dor a mais forte sofrer, oh, seja o que for TU me fazes saber que feliz com Jesus sempre sou"; "Se temos de perder os filhos, bens, mulher, embora a vida vá, por nós Jesus está e dar-nos-á seu Reino". O âmago desta guerra, portanto, se dá aqui.
Um dos médicos que nos acompanha e que está nos ajudando com o Filipe disse para a Clenir. Eu não ENTENDO. Vocês não acham que já foram muito testados??? É exatamente aqui que Satanás pode lançar as suas setas. Ok. Se Deus pode, então POR QUE não age por vocês? Por que não tira o espinho da carne? Por que permite aos Romanos fazerem do sofrimento dos cristãos um circo? POR QUÊ??? POR QUÊ?. Não queremos compreender. Ele nos dirá quando quiser, se quiser, da maneira que quiser. Ele não nos deve explicação. Ele é Deus. Ele é Senhor. Ele É. O que Ele vai fazer eu não sei. Mas independente de qualquer coisa. Vamos nos alegrar NELE. Vamos celebrar o nome dEle. Vamos amá-lo. Vamos continuar a evangelizar. Vamos continuar a investir em Missões. Vamos continuar a servi-lo, enquanto vida houver.
Fiquem tranqüilos!!! Não estou delirando. O meu coração está exultante. Nem eu consigo entender. Lembrei-me que um dos últimos livros que li, escrito por Martin Loyd-Jones foi "JOY UNSPEAKABLE", ou seja, GOZO INDIZÍVEL que marcou profundamente a minha vida e a minha experiência com Deus. Embora não abrace tudo o que ele diz no livro, o qual é questionado por John Stott, mas ambos concordam com o fato de que somente uma vida cheia do Espírito Santo pode produzir o AVIVAMENTO de que necessitamos. E será o avivamento da ALEGRIA. Lloyd-Jones escreve: "Isto é o que o homem faz, quando está cheio do Espírito: Ele quer adorar a Deus, ele deseja glorificá-lO, falar aos outros sobre Ele, e glorificar a Jesus em particular". Estes são os resultados de uma vida cheia do Espírito Santo. Martin Lloyd Jones conclama, e eu me junto a ele, a conclamar a todos os crentes no Brasil e no mundo, a buscarmos o AVIVAMENTO. A enfrentar a verdadeira guerra espiritual, que não é mais a demonstração do poder de Deus, mas a adoração dos verdadeiros adoradores, que adoram o Pai em espírito e verdade, mesmo que a figueira não floresça...
Tenha um ótimo dia!!!!
"Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: Alegrem-se!!" (Fp.4.4)

Xavier

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:17, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Marcas na vida de um jovem I

Pr. Alfrêdo Oliveira[1]

Todos carregam marcas e cicatrizes e, idealmente, vivem a vida a partir do aprendizado que as marcas e cicatrizes produziram. Algumas marcas trazem boas recordações, outras não.

As Escrituras registram marcas na vida do jovem Saulo de Tarso, marcas que ele carregou por toda a sua vida. Os textos: Atos 7.54-8.1 NVI

54 Ouvindo isso, ficavam furiosos e rangiam os dentes contra ele.
55 Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus de pé, à direita de Deus,
56 e disse: "Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé à direita de Deus".
57 Mas eles taparam os ouvidos e, gritando em alta voz, lançaram-se todos juntos contra ele,
58 arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo.
As testemunhas deixaram seus mantos aos pés de um jovem chamado Saulo.
59 Enquanto apedrejavam Estêvão, este orava: "Senhor Jesus, recebe o meu espírito".
60 Então caiu de joelhos e bradou: "Senhor, não os consideres culpados deste pecado". E, dizendo isso, adormeceu.
Atos 8.1 E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão. Naquela ocasião desencadeou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém. Todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria

O texto narra o martírio de Estevão, um dos ministros/diáconos escolhidos para servir às mesas. O apedrejamento fala por si só. Lucas, ao escrever Atos descreve Estevão como homem justo:

Atos 6.3 Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria...

Atos 6.5 Tal proposta agradou a todos. Então escolheram Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo,...

Estevão foi apedrejado! Há na cena outro personagem, que aqui aparece como coadjuvante –  o jovem Saulo, mencionado em dois momentos neste texto:

At. 7.58 ... As testemunhas deixaram seus mantos aos pés de um jovem chamado Saulo.

At.8.1 E Saulo estava ali, consentindo na morte de Estêvão...

O apedrejamento marcou profundamente o jovem Saulo, e deixou marcas que devem ser evitadas.

OMISSÃO UMA MARCA PERIGOSA

Percebe-se a omissão de Saulo quando a Bíblia diz: At. 7.58 ... As testemunhas deixaram seus mantos aos pés de um jovem chamado Saulo.  Guardando os mantos, Saulo se omitiu, o mesmo Saulo que se revelou um líder na perseguição, e depois de convertido um dos maiores líderes do Cristianismo.

O texto narra que após ouvir o discurso de Estevão, o Sinédrio, e o povo, ficaram furiosos. A fúria foi tamanha que eles gritaram fortemente, arrastaram e apedrejaram Estevão (v.57,58). Esta cena marcou os presentes, e a vida do jovem Saulo.

A omissão de Saulo deixou marcas profundas em sua vida, décadas depois essa experiência era lembrada. At.22.20 E quando foi derramado o sangue de tua testemunha Estêvão, eu estava lá, dando minha aprovação e cuidando das roupas dos que o matavam

Algumas das conseqüências das decisões tomadas na juventude serão lembradas décadas depois. As decisões precisam ser tomadas, a omissão evitada. Quando nada é decidido, uma decisão foi tomada – a omissão. Nenhum jovem deve omitir-se diante das situações da vida.

Há um texto que ilustra bem a omissão e suas conseqüências...

(Martin Niemöller[2]pastor protestante alemão, sobre os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial)

"Primeiro, eles vieram atrás dos comunistas.

E eu não protestei, porque não era comunista.

Depois, eles vieram pelos socialistas

e eu não disse nada, porque não era socialista.

Mais tarde, eles vieram atrás dos líderes sindicais.

E eu calei, porque não era líder sindical.

Então, foi a vez dos judeus.

E eu permaneci em silêncio porque não era judeu.

Finalmente, vieram me buscar.

E já não havia ninguém para protestar."

Diante dos apedrejamentos produzidos pela sociedade contemporânea, o jovem cristão não pode ser omisso.  Todos os dias acontecem apedrejamentos. Qual tem sido a postura da juventude cristã e batista?



[1]              O Pastor Alfrêdo Oliveira Silva é Professor do STBNB, AMESPE, SEC, e membro da Igreja Batista da Capunga,Recife-PE, Brasil

[2]              http://escutazedicasdeleitura01.blog.com/ às 23h01m do dia 09 Out. 2006

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:11, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

O Professor Ideal

Um dos grandes desafios do magistério, especialmente no começo da vida acadêmica do aluno, é fazê-lo entender a necessidade de aprender e "Somente o professor que aprende bem e continuadamente, pode fazer o aluno aprender". Não existe mestre melhor do que o exemplo.

Além disso, a legítima capacitação não prescinde a uma atualização constante. O que só é possível pela renovação dos conhecimentos através da reciclagem por isso "Ninguém mais do que o professor, para manter-se profissional, precisa todo dia estudar", mais do que uma necessidade é uma exigência do mundo globalizado onde vivemos e lecionamos.

No caso específico da educação teológica, o desafio é ainda maior uma vez que o professor precisa estar familiarizado com os teólogos e pensadores do passado, e manter-se em sintonia com o presente, para desta forma ocupar o seu lugar na sociedade pós-moderna como representante legítimo da educação teológica, que anda tão desgastada atualmente. "Para que a educação teológica no Brasil possa encontrar seu rumo, precisamos resgatar a imagem do professor de teologia de nossos seminários".

"Enquanto o professor se constituir a prova de que a cidadania brasileira não existe, não há o que esperar das escolas, especialmente de nossos Seminários". Lamentavelmente o homem – e o professor não se constitui em exceção – enquanto produto do meio, anda pessimista quanto a sua função e atuação nos dias de hoje. Esse pessimismo é gerado pelas grandes desigualdades sociais, o que é perceptível também no meio seminarial. Tais diferenças acabam por influir na auto-estima, o que sofre um agravamento se considerarmos o abismo que separa o que se exige do professor, do que lhe é oferecido a título de remuneração. "A remuneração e capacitação do pessoal docente, deve ser a primeira área de aplicação dos recursos da educação". Quando isso não ocorre o ensino deixa de ser a prioridade da escola, descaracterizando-a.

Um outro fator que obstrue o desenvolvimento do professor é a forma como o ensino é dirigido. "A administração do ensino deve ser feita de maneira participativa, evoluindo daí para um orçamento participativo". O grande problema é que a instituição de ensino é dirigida de forma autoritária, a variante é a forma oligárquica. Nas duas possibilidades o orçamento, longe de ser participativo, é algo distante quando não misterioso tanto para o discente quanto para o docente. O que acaba gerando problemas de credibilidade para quem administra, e de qualidade para o ensino, uma vez que os mais afetados – e que deveriam ter maior participação – professores e alunos não têm muitas vezes nem voz, nem vez.

Não ter participação, é meio caminho para o desinteresse que acaba gerando a mediocridade na educação, um dos grandes problemas do nosso país. "Não é possível realizar uma educação de qualidade, sem os devidos investimentos nos professores, de outro lado, os meros investimentos não garantem a qualidade, pois a qualidade nasce da qualidade. Sem qualidade de vida, não há qualidade de ensino. Sem remuneração condigna, não há qualidade de vida. Sem qualidade de vida, não há comprometimento efetivo, com a devida dedicação de tempo ao ensino". Sem realização pessoal não há professor ideal! Desestimulado o professor não contribui para a formação de melhores cidadãos.

É preciso capacitar o professor para que ele desempenhe bem sua missão, e dê a sua parcela de contribuição na construção de uma sociedade mais digna "O plano de capacitação permanente dos profissionais de educação, esbarra no esforço dos empresários da educação, para quebrar o que denominam corporativismo docente, esquecendo-se que é da interação entre os professores que nasce a troca de experiência, em que, em geral, todos aprendem". É o princípio vigente nas batalhas, é preciso dividir par conquistar! Os donos da educação não são os proprietários do saber, eles sabem que não sabem por isso temem a união dos professores que naturalmente contraria os interesses do capital, que não poucas vezes não coincidem com os do ensino.

Unidos pelo ideal de uma educação libertadora os professores podem dar sua parcela de contribuição à escola. "A participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto político-pedagógico da escola, bem como a participação da comunidade escolar no conselho administrativo da escola, é fundamentalmente necessária à gestão democrática do ensino, visto que, por mais eficiente que a direção da escola seja, não poderá pensar pelos professores, como não poderá produzir os conhecimentos que o professor transmitirá em sala de aula".

Finalizando, o professor ideal não surge do nada, ele surge quando as condições e oportunidades lhe propiciam o amadurecimento no tempo próprio. "Assim como, a árvore que produz frutos, no reino vegetal, bem como o animal que gera e cria seus filhotes no reino animal, precisam ser devidamente nutridos, o professor, para produzir o fruto que as escolas vendem como conhecimento, precisa ser devidamente nutrido, não somente de bens materiais, mas de bens espirituais, como respeito, consideração e valorização da dignidade humana." Quando este dia chegar estaremos mais próximos de um a sociedade mais justa, de uma escola mais relevante, e de um professor ideal.




(Escrito como uma das atividades da Disciplina Metodologia do Ensino Superior, Mestrado em Teologia no STBNB, Recife, Janeiro de 1998)

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:09, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Carta da Igreja Protestante de Esmirna, para todas as Igrejas no mundo.

Carta da Igreja Protestante de Esmirna, para todas as Igrejas no mundo.

Queridos amigos,
Esta última semana foi repleta com muita tristeza. Até agora, muitos de você ouviram sobre uma devastadora perda que sofremos aqui em um evento que aconteceu em Malatya, província turca a 300 milhas a nordeste de Antioquia, cidade onde os crentes foram chamados pela primeira vez de cristãos (Atos 11:26).


Na quarta-feira pela manhã, 18 de abril de 2007, o missionário alemão Tilman Geske de 46 anos e pai de três filhos preparado para ir ao seu escritório, deu um beijo de adeus na sua esposa e gastou um momento abraçando o seu filho, dizendo "Adeus, filho. Eu te amo", deixando-lhes na memória uma cena incalculável.


Tilman, tinha alugado um escritório da Zirve Publicadora onde ele estava preparando notas para a Nova Bíblia de Estudo turca. Zirve era o local onde também funcionava o escritório da Igreja Evangélica de Malatya Evangelista. Ali imprimia e distribuía literatura Cristã para Malatya e todas as cidades que ficavam na parte oriental da Turquia. Em outra parte da cidade, o Pastor Necati Aydin de 35 anos, pai de dois filhos, disse adeus à sua esposa e deixando-a, saiu também para o escritório. Naquela manhã, eles teriam uma reunião de oração e estudo Bíblico logo cedo onde encontrariam com alguns outros crentes. Da mesma forma, Ugur Yuksel foi ao estudo de Bíblico.
Nenhum destes três homens sabia que aquilo que os esperavam no estudo Bíblico seria a última prova em que a fé deles seria submetida e concluiria na entrada deles na glória recebendo a coroa de justiça de Cristo e honra de todos os santos que os esperavam na presença de Deus.


No outro lado de cidade dez jovens, por volta de seus 20 anos, concluíam os detalhes finais da ultima ação de fé por amor a Alá e ódio dos infiéis que estavam arruinando com o Islã. No domingo da Ressurreição, atendendo ao convite do Pastor Necati, cinco destes homens tinham estado numa reunião evangelística realizada no auditório de um hotel na cidade. Ninguém soube o que aconteceu com seus corações quando escutaram sobre o evangelho. Eles foram tocados pelo Espírito santo? Eles foram convencidos de seus pecados? Os corações deles realmente ouviram o evangelho? Hoje nós só sabemos o começo da história deles.
Estes jovens, um deles era filho de um prefeito na Província de Malatya, faziam parte de um grupo de "crentes fiéis ao islã" . Grupo social onde seus membros são altamente respeitados e funciona como uma sociedade fraterna. Na realidade, é dito que ninguém pode entrar em escritório público sem esta sociedade. Estes jovens estavam vivendo no mesmo dormitório e se preparavam para fazerem exames para entrarem na universidade. Os jovens conseguiram armas de fogo, faca, cordas e toalhas que seriam usados no ultimo ato deles a serviço de Alá. Eles sabiam que haveria muito sangue. Chegaram a tempo para o Estudo Bíblico por volta das 10 horas. Eles chegaram e o estudo bíblico aparentemente já havia começado. Segundo notícias, depois que Necati leu um capítulo da Bíblia a agressão começou. Os meninos amarraram Ugur, Necati, e as mãos de Tilman nos pés das cadeiras e começaram a filmar a cena com os seus celulares. Eles torturaram nossos irmãos durante quase três horas.

* Detalhes da tortura


* Tilman foi apunhalado 156 vezes, Necati 99 vezes e as punhaladas de Ugur eram muito numerosas para contar. Eles foram estripados e seus intestinos fatiados em frente aos seus olhos. Eles foram castrados e assistiram a destruição de partes de seus corpos. Dedos foram cortados fora, foram fatiados os narizes e bocas e ânus aberto. Possivelmente a pior parte era assistir os seus irmãos sendo torturado igualmente. Finalmente, as gargantas deles foram fatiadas de orelha a orelha ficando praticamente decapitado.


Vizinhos que trabalhavam perto disseram depois que tinham ouvido gritos, mas pensaram que os donos estavam tendo um argumento doméstico e assim eles não fizeram nada. Enquanto isso, outro crente, Gokhan e a esposa, por volta das 12:30 chegaram ao escritório. A porta estava fechada por dentro. Ele telefonou para o escritório, no entanto não ouviu o telefone tocar dentro do escritório. Ele ligou para o celular dos irmãos e finalmente Ugur atendeu ao telefone. "Nós não estamos no escritório. Vá para a reunião no hotel. Nós estamos lá. Nós nos veremos lá", ele disse misteriosamente. Quando Ugur falava ao celular, Gokhan ouviu no telefone choro e um som rosnando estranho.


Ele telefonou para a polícia e em aproximadamente cinco minutos eles chegaram. Eles bateram na porta, "Policia, abra! " Inicialmente o oficial pensou que era uma perturbação doméstica. Àquele ponto eles ouviram um gemido. A polícia entendeu aquele som era de alguém sofrendo, prepararam suas armas e tentaram arrombar a porta inúmeras vezes. Um dos assaltantes amedrontado destrancou a porta para a policial que entrou e achou uma cena horrível. Tinham sido mortos Tilman e Necati que praticamente estavam com os pescoços decapitado de orelha a orelha. A garganta de Ugur foi igualmente cortada, mas ele ainda estava vivo. Três assaltantes em frente dos policias entregaram suas as armas.


Enquanto isso ,Gokhan ouviu um som de grito na rua. Alguém tinha caído do terceiro andar do escritório. Correndo , ele achou um homem no chão quem ele reconheceu depois como, Emre Gunaydin. Ele teve traumatismo na cabeça. Ele tinha tentado descer através do cano de esgoto para escapar e perdeu o equilíbrio e caiu no chão. Parece que ele era o líder principal dos atacantes. Outro assaltante foi encontrado enquanto se escondia num balcão.


Em um programa de tv de Ankara, capital da Turquia, o Ministro do Interior sorriu maliciosamente quando falava dos ataques de nossos irmãos. "Nós esperamos que você aprenda sua lição. Nós não queremos cristãos aqui." Quando Susanne Tilman, esposa do missionário alemão, expressou o seu desejo de enterrar o marido em Malatya, o Governador tentou impedir, mas quando percebeu que não tinha como, um rumor foi espalhado na cidade "é um pecado cavar uma sepultura para um Christian." No fim, em um empreendimento de que sempre deveria ser lembrado na história Cristã, homens da igreja em Adana (perto de Tarso), pegaram pás e cavaram uma sepultura para o irmão morto dentro de um cemitério armênio de cem anos.


Ugur foi enterrado pela sua família numa cerimônia muçulmana alevita na cidade natal dele, Elazig, sua noiva crente assistiu a cerimônia escondida, pois a família e os amigos dele recusaram a aceitar em morte a fé de Ugur que professava e morreu por ela.


O funeral de Necati aconteceu na cidade natal dele de Izmir, a cidade onde ele aceitou Jesus. As trevas não compreende a luz. Embora as igrejas expressassem o perdão por aquilo que tinha acontecido, as autoridades não confiaram nos cristãos. Antes de carregarem o caixão sobre o avião de Malatya, passou por dois exames de raios-X para ter certeza que não estava carregado com explosivos. Este não é um procedimento habitual para caixões muçulmanos.


O funeral de Necati foi um evento bonito. Milhares de cristãos turcos e missionários vieram mostrar o amor deles por Cristo, e a honrarem este homem escolhido para morrer por Cristo. A esposa de Necati, Shemsa, contou ao mundo "A morte dele estava cheio de significado, porque ele morreu por Cristo e ele viveu para Cristo... Necati era um presente de Deus. Eu sinto honrada que ele estava em minha vida e sinto coroada com honra. Eu quero ser merecedor desta honra."


Corajosamente os crentes foram ao funeral de Necati, sabendo que estariam enfrentando os riscos de ser visto e se tornarem alvos para igual fim. Como esperado, a polícia anti-terror assistiu e filmou todo mundo que assistia ao funeral para o uso futuro das imagens. O serviço aconteceu fora da Igreja Batista Buca e ele foi enterrado em um pequeno cemitério Cristão nos arredores de Izmir.


Dois assistentes do Governador de Izmir estavam solenemente assistindo o evento. Dúzias de agências de notícias estavam documentando os eventos , alguns retransmitiam ao vivo e outras fotografavam. Não sabemos o impacto que o funeral estava tendo naqueles que assistiam? Este também é como o começo da história deles. Orem por eles.


Em um ato que recebeu lugar nas primeiras páginas nos maiores jornais da Turquia, Susanne Tilman em uma entrevista de tv expressou o seu perdão. Ela não quis vingança, falou para os repórteres. "Oh Deus, perdoem porque eles não sabem o que fazem", ela disse, concordando com as palavras de Cristo no Calvário (Lucas 23:34).


Em um país onde de sangue-por-sangue e vingança é tão normal quanto respirar, muitos muitos relatos chamaram à atenção da igreja de como este comentário de Susanne Tilman mudou vidas. Um colunista escreveu sobre o comentário de Susanne, "ELA DISSE EM UMA ORAÇÃO O QUE 1000 MISSIONÁRIOS EM 1000 ANOS NUNCA PODERIA FAZER."


Os missionários em Malatya provavelmente terão que mudar, pois suas famílias e crianças foram identificadas publicamente e se tornaram alvos públicos. Os 10 crentes locas estão escondidos. O que acontecerá com esta igreja, esta luz na escuridão? Muito provavelmente irá se tornar subterrânea. Orem por sabedoria e para que irmãos turcos de outras cidades venham a conduzir a esta igreja sem liderança. Nós não deveríamos nos interessados por aquela grande cidade de Malatya, uma cidade que não sabe o que está fazendo? (Jonas 4:11)


Por favor orem pela Igreja na Turquia. "Não orem contra perseguição, orem por perseverança", Pede o Pastor Fikret Bocek. Isto nós sabemos. O Cristo Jesus estava lá quando nossos irmãos estavam dando suas vidas por Ele. Ele estava lá, como Ele esteve quando Estevão estava sendo apedrejado as vistas de Paulo de Tarso. Nós oramos e pedimos que orem para que em algum dia pelo menos um desses cinco meninos aceitem Jesus a fé por causa do testemunho em morte de Tilman Geske que deu a vida como um missionário para os Turcos a quem amava e os testemunhos em morte de Necati Aydin e Ugur Yuksel, os primeiros mártires de Cristo da Igreja turca.


Informado por Darlene N. Bocek (24 2007 de abril)

No caso de retransmitir o e-mail conserve o título "Carta da Igreja Protestante de Esmirna" informação de contato: izmirprotestan@gmail.com / / http://www.izmirprotestan.org

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:07, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Pastor Waldemiro Tymchak

20 de abril de 2007, ao sair para dar aulas recebi do Pastor Ney Ladeia a notícia do falecimento do Pastor Tymchak. Sem digerir a informação, comuniquei a Direção Geral, e tentei prosseguir em minhas atividades.

Algumas pessoas perguntavam o que houve? Ele estava doente? O fato é que cada segundo, cada hora, cada dia, dos últimos 18 anos de vida do Pastor Waldemiro Tymchak, foram um milagre, um presente de Deus.

Despedida a turma, recebi do Dr. Merval Rosa a incumbência de representá-lo, e ao STBNB, no Rio de Janeiro. Graças a Deus, a agilidade da irmã Rosana e a presteza do Pr. Linaldo Guerra, às 10h40 rumava para o aeroporto, onde mais tarde encontrei no portão de embarque os Pastores Miquéias, Ney e a Prof. Dayse Correia.

Deixamos o Recife com uma hora de atraso, às 13h30, e pouco depois das 17h., estávamos no Cemitério Parque Jardim da Saudade, no Rio de Janeiro, juntamente com Batistas de todo o Brasil.

A exigüidade do tempo não nos permitiu participar do belíssimo culto realizado na Capela do Seminário Sul, que pode ser vista no site da Igreja Batista de Itacuruça http://www.itacuruca.org.br/. O culto foi realizado na Capela do STBSB atendendo a vontade do Pastor Tymchak, gesto interpretado como uma homenagem a Educação Teológica que ele tanto valorizava.

Chegando ao cemitério, expressei o meu sentimento, e representei o STBNB, ao abraçar e falar com a irmã Acidália Tymchak, ajudadora e esposa desde 20 Jan. 1973, a quem o Pastor Tymchak chamou de "meu anjo, meu galardão antecipado" ao falar dela em carta circular dirigida aos missionários, quando ele escreveu preso ao leito, ano passado.

No caixão, imóvel, com uma camisa dos radicais sobre o peito, estava aquele que desde 13 Jul 1979, conclamava os Batistas à evangelização mundial. O seu Ministério foi largamente abençoado por Deus, quando chegou à então Junta de Missões Estrangeiras, tínhamos 56 missionários em 11 campos, agora, quase trinta anos depois, são 598 missionários, em 63 campos, 62 países. Glória a Deus!

Os momentos que passamos ali foram preciosos. Em uma tarde que escurecia com o por do sol, em céu majestoso e belo o Pr. Israel convidou os presentes a entoarmos alguns hinos, o Pastor Miquéias orou, e enquanto o caixão descia, o povo de Deus cantava "Tu És Fiel Senhor", quando o fim do culto foi anunciado, espontaneamente um salva de palmas foi dada.

O Senhor dos Exércitos chamou para Si um dos seus mais valorosos Generais, ele não tombou, foi promovido à presença do seu Senhor.

Soli Deo Gloriæ!

Pastor Alfrêdo Oliveira

Professor do STBNB e da AMESPE,

membro da Igreja Batista da Capunga,

Recife-PE, Brasil

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:04, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Breve reflexão sobre o culto cristão

Atualmente sob o nome de "culto" tem acontecido coisas esquisitas, por isso faço a breve reflexão abaixo.
O culto não deve ser um show nem um parque de diversões, nem tão pouco a ocasião para o êxtase motivado por mantras.

O culto cristão é o encontro do ser humano pecador, com outros seres humanos que juntos, se aproximam reverentemente de um Deus que é Santíssimo.

O Deus Supremo, Criador dos céus e da terra, através de sua Palavra deixou orientações de como quer ser adorado. O culto cristão precisa ter algumas características bem nítidas: Em espírito e em verdade; racional; com ordem e decência. É assim que a Palavra ensina.

A liturgia deve ser elaborada a partir de uma teologia definida, e um bom exemplo pode ser encontrado em Isaías 6, onde vemos as partes de um culto a Deus exemplificadas no chamado de Isaías: Adoração e louvor (adoramos a Deus pelo que Ele é, e O louvamos pelo que Ele faz),confissão e dedicação, proclamação, e comunhão.

Infelizmente por desconhecimento, desobediência, ou por preferir modismos, muitos têm oferecido fogo estranho no altar do Senhor.

Que Ele tenha misericórdia de nós.

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:01, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

O Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas

Introdução

Os cristãos reconhecem na Bíblia como única regra de fé e prática. Esse status deve-se à compreensão de que ela foi inspirada, revelada e preservada pelo próprio Deus.


Nas Escrituras Sagradas, encontramos quatro evangelhos que registram a vida terrena de Jesus Cristo, seu nascimento, vida, morte e ressurreição. Esses evangelhos constituem-se em quatro percepções do Evangelho de Jesus Cristo.


Os três primeiros evangelhos são chamados sinóticos em virtude da semelhança que apresentam entre si, e no estudo do Novo Testamento essa matéria é tratada como "O Problema Sinótico". O nosso foco neste artigo é o Evangelho de Jesus Cristo Segundo Lucas que conforme atesta Carson "é o livro mais longo do Novo Testamento e inclui boa quantidade de informações não encontradas em outros textos."1. Sem mencionar a beleza e o estilo refinado do autor.


Data, Local e Autor do Evangelho

Datar uma obra antiga é sempre um desafio, e no caso do Evangelho de Jesus Cristo Segundo Lucas, temos os relatos da História da Igreja, que registra o testemunho cristão ao longo dos séculos. "Os períodos considerados possíveis como data do evangelho de Lucas são: 1) 59-63 d.C. e 2) as décadas de 70 ou de 80"2 Essa variação quanto à data deve-se as diferentes percepções do problema sinótico, que contemplam as relações entre este evangelho e os demais sinóticos, especialmente o de Marcos.


Para exemplificar a relação entre Lucas-Marcos, apresentamos o quadro contido no livro Teologia do Novo Testamento3:


A. Novo Material

B. Material de Marcos

1. Lc 1,1-4, 30


2.

Lc 4,31-34 = Mc 1,21-29

3.Lc 5,1-11


4.

Lc 5,12-6, 19 = Mc 1,40-3,19

5. Lc 6,20-8,3


6.

Lc 8,4-9,50 = Mc 4,1-25; 3,31-35; 4,35-6,44; 8,27-9,40

7. Lc 9,51-18,14


8.

Lc 18, 15-43 = Mc 10,13-52

9. Lc 19,1-28


10.

Lc 19,29-38 = Mc 11,1-10

11.

Lc 19,45-22,13 = Mc 11,15-14,16

12. Lc 22,14-24



Entre os possíveis locais de composição menciona-se Roma, Acaia, Éfeso e Cesaréia. "Esse evangelho, com suas designações pormenorizadas de locais da Palestina, parecia ter em mente leitores não familiarizados com aquela terra. Antioquia, Acaia e Éfeso são destinações possíveis"4 O local de destino relaciona-se ao endereço de Teófilo que não é explicitado.


Se considerarmos apenas as evidências internas, os Evangelhos, inclusive o terceiro, são anônimos. Isto é, não trazem indicação de autoria. Mas, o testemunho cristão primitivo associa esse evangelho a Lucas, bem como o livro de Atos, igualmente endereçado a Teófilo.


Abordando a autoria, Carson registra o testemunho do herege Marcião, perto do fim do século II, que embora não seja referência doutrinária, nada desabona o seu testemunho quanto à datação da obra. Outros testemunhos como o do Cânon Muratoriano, de . Irineu e Tertuliano que dão como certa a autoria lucana do terceiro evangelho5


Cullmann chama a atenção para a apresentação que aponta para uma pessoa metódica que criteriosamente organizou sua obra, fazendo uso de termos clássicos ao contrário dos barbarismos e neologismos dos outros evangelistas6.


Enfoques...

O Dr. John Barry Dyer ao apresentar o tema do trimestre na Revista Atitude7 do segundo trimestre de 2007 apresenta as ênfases do Evangelho Segundo Lucas, assim distribuídas: Jesus, o perfeito ser humano; Jesus e o sofrimento humano; Jesus e os perdidos; Parábolas e milagres; Jesus, vitorioso sobre a morte; A exaltação de Jesus e o Espírito Santo.


O Dr. Dyer destaca a identificação de Jesus Cristo com o ser humano em toda a sua complexidade. Essa abordagem deve ser bem refletida, especialmente em um contexto cultural, como o brasileiro, em que para muitos a figura percebida como Jesus Cristo está desencarnada do dia a dia das pessoas, inclusive dos cristãos. Lucas apresenta-nos não apenas uma tema abstrato para reflexão, ou um Jesus para menções litúrgicas, mas um ser humano que com os humanos está identificado. Toda forma desumana, e desumanizadora de existir, é uma afronta a Jesus Cristo,e uma afronta ao Evangelho.


Outro enfoque que deve ser resgatado no estudo do terceiro evangelho é a ênfase missionária, e a preocupação de Deus com a raça humana. O Dr. Timóteo Carriker referindo-se aos livros de Lucas-Atos, assevera "a apresentação mais clara da missão universal da igreja em todo o Novo Testamento."8


Carriker lembra que em Lucas, Jesus Cristo não é apresentado como um descendente de Abraão, mas como um descendente de Adão (Lucas 3.23-38), e logo irmão de todos os seres humanos. Outra contribuição relevante é a demonstração de que Jesus Cristo quebrou várias barreiras9.

Geográficas (4.31, 38, 42, 43, 44)

Sociais: fariseu (7.36; 11.37; 14.1), mulher pecadora (7.36-50), publicanos (5.27-32), coletor de impostos (19.1-10), pobres e oprimidos (4.18; 7.41-43; 11.5-8), ricos , mulheres.

Culturais e religiosas: samaritanos (10.29-37), leprosos (17.11-19), centurião romano (7.9),


A ênfase missionária está presente também no final do evangelho (24.48) onde os existe a afirmação do ser testemunha. Em sua obra Lucas expõe sua metodologia (1.1-4) ele utilizou três fontes: várias narrações compostas antes dele, informações colhidas junto a testemunhas oculares, e a tradição oral das pregações apostólicas.10 Todas essas fontes colaboraram para que o testemunho do Evangelho de Jesus Cristo atravessasse os séculos.

Desafios Para o Homem Moderno

O Evangelho Segundo Lucas apresenta vários desafios para a atualidade, entre eles mencionamos.


  1. A utilização da inteligência dada por Deus. No primeiro capítulo Lucas afirma que existiam outros relatos, e que ele resolveu pesquisar e escrever um relato cuidadoso e em ordem para o Exmo. Teófilo. Nesses dias em que a mediocridade e o misticismo cego têm ocupado lugar na religiosidade evangélica, convém lembrar que Deus nos fez seres pensantes e que a nossa inteligência e racionalidade devem ser usadas inclusive na adoração.

  2. A quebra de barreiras – Ao quebrar as barreiras Jesus desfez todas as distâncias existentes entre os segmentos sociais dos seus dias. Em uma sociedade cheia de preconceitos e discriminação, os cristão precisam agir fraternamente uns com os outros, e com o próximo, e também com os não batizados.


Que o Espírito Santo de Deus ilumine o nosso espírito par a que estudo do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas, nos ajude a amadurecer e viver a cada dia a fé cristã. Amém!


* O Pr. Alfrêdo Oliveira Silva é natural de Feira de Santana – Bahia, casado com a Professora Lídia Souto de Moraes Oliveira Silva; e pai de Anália Moraes Oliveira. É Bacharel em Teologia (com concentração na área Pastoral-Missiológica – 1995), e Mestre em Teologia (com especialização na área Bíblica – Novo Testamento – 1999), pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil (STBNB). Atualmente mora em Recife-PE, onde leciona no STBNB e na Academia Memorial de Ensino Superior de Pernambuco (AMESPE), é membro da Coordenadoria de Desenvolvimento Cristão Convenção Batista de Pernambuco (CDCCBPE), e membro da Igreja Batista da Capunga em Recife-PE.

1CARSON, D. A.; MOO, D. J.; MORRIS, L. Introdução ao Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1997. p. 123

2Bíblia de Estudo NVI/ organizador geral Kenneth Barker; co-organizadores Donald Burdick... [et al.] São Paulo: Editora Vida, 2003 p. 1717

3 JEREMIAS, Joachim. Teologia do Novo Testamento: a pregação de Jesus. São Paulo: Paulinas, 1977. p. 68

4Bíblia de Estudo NVI Idem p. 1718

5 CARSON idem. p. 125

6CULLMANN, Oscar. A Formação do Novo Testamento. 6ª edição. São Leopoldo: Editora Sinodal, 1996. p.35

7Revista Atitude, Escola Bíblica Dominical, Ano XV – Abr. Mai. Jun. 2007, p. 5

8CARRIKER, Charles Timothy. Missão Integral. Uma Teologia Bíblica. São Paulo: Editora SEPAL, 1992. p. 201

9CARRIKER, C. Timóteo. Missões Na Bíblia. São Paulo: Vida Nova, 1992. p. 25ss

10CULLMANN, Oscar. idem p.34

Por Pr. Alfrêdo - September 21st, 2007, 0:00, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)

Mateus o Evangelho do Reino

A vida de Jesus Cristo está registrada na história da humanidade de forma inequívoca. Até na forma do mundo ocidental contar o tempo, em antes e depois de Cristo, vemos a profunda influência por Ele exercida.


Nas Escrituras Sagradas, encontramos quatro evangelhos que representam pontos de vistas, a partir dos quais, a vida, morte e ressurreição do Senhor, foram contados. Dentre eles, os três primeiros são chamados sinóticos em virtude da semelhança que apresentam. Neste trimestre, estaremos estudando o Evangelho de Jesus Cristo Segundo Mateus, também conhecido como o Evangelho do Reino.


Data, Local e Autor do Evangelho

Para entendermos melhor qualquer texto, convém uma referência aos seus aspectos bibliográficos.


Com relação ao Evangelho segundo Mateus, existe um consenso estabelecido desde os pais apostólicos, que ele teria sido escrito "... antes de 70, com maior probabilidade durante os anos 60".1 Posteriormente, até quando esta data foi questionada, o Evangelho continuou situado dentro do primeiro século.


Sendo escrito no ano 60 dC, ele pode ter seu ambiente em Jerusalém, ou outra cidade da Palestina. Se a exemplo de Cullmann,2 preferirmos uma data depois de 70, ele propõe 80, fica difícil indicar um local preciso como ele mesmo admite3.


Quanto à autoria, apesar das divergências entre os estudiosos – principalmente quanto ao problema sinótico – existem fortes indicações que ligam o texto do Evangelho a Mateus, o apóstolo. Sem dúvida o escritor era alguém que conhecia as línguas grega e semítica, como pode ser inferido a partir da leitura.


Enfoques do Trimestre

Durante este trimestre estaremos enfatizando que a promessa do Messias contida no Antigo Testamento encontrou seu cumprimento em Jesus, o Filho de Davi. Esta ênfase está escudada no próprio texto. "O autor se refere à Escritura pelo menos em 130 passagens; destas, 43 são citações precisas... Suas citações da Escritura são feitas à maneira judaica, respeitando às vezes até a letra dos textos."4 Isso demonstra a intimidade que ele tinha com o Antigo Testamento, do qual se revela profundo conhecedor.


O Messias de Deus veio, e o Seu Reino estabeleceu. Os discípulos somos participantes deste Reino, que em Mateus é trinta e uma vezes chamado de Reino dos Céus, contra quatro vezes para Reino de Deus. Esta forma de chamar o Reino é possivelmente para evitar a menção ao nome do Senhor, tão cara aos judeus, a quem o Evangelho era dirigido em princípio.


Desafios Para o Homem Moderno

O Evangelho, segundo Mateus, nos desafia a uma vida inserida no Reino de Deus. Essa inserção, nos faz viver os ensinos de Jesus Cristo neste mundo de forma a produzir nele transformações.


As transformações a serem produzidas no mundo, são experimentadas pelo discípulo, e pela Igreja. A forma de pensar, agir, e ver as coisas passam a ser determinadas pelos padrões éticos ensinados por Jesus, e por Ele demonstrados.


O amor não deve ser apenas um sentimento, ele passa a ser motivação e aferidor do nosso procedimento.




* O Pr. Alfrêdo Oliveira Silva é natural de Feira de Santana – Bahia, casado com a Professora Lídia Souto de Moraes Oliveira Silva e pai de Anália Moraes Oliveira; Bacharel em Teologia (com concentração na área Pastoral-Missiológica, 1995), Mestre em Teologia (com especialização na área Bíblica – Novo Testamento, 1999), pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil. Atualmente é Professor no STBNB (Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil) e na AMESPE (Academia Memorial de Ensino Superior de Pernambuco). Leciona várias disciplinas, entre elas: Teologia dos Princípios Batistas, Teologia Bíblica do NT, Introdução Bíblica, Novo Testamento, Exegese Bíblica do NT, Fundamentos Evangelização e Missões Governo da Igreja.



1 D. A. CARSON; Douglas J. MOO; Leon MORRIS. Introdução ao Novo Testamento. Tradução de Márcio Loureiro Redondo. São Paulo: Vida Nova, 1997. p. 90.

2 Oscar CULLMANN. A Formação do Novo Testamento. 6ª edição. São Leopoldo: Editora Sinodal, 1996. p.27

3 Oscar CULLMANN idem.

4 LEITURA do Evangelho de Mateus. Vários autores. Tradução Benoni Lemos. São Paulo: Edições Paulinas, 1985. Cadernos Bíblicos – 12. p.17

Por Pr. Alfrêdo - September 20th, 2007, 23:58, Categoría: General
Enlace Permanente | Referencias (0)




<<   July 2017    
SMTWTFS
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31      

Enlaces
eGrupos
ZoomBlog

 

Blog alojado en ZoomBlog.com